PARAISO FASHION WEEKEND 2014


Nesse ultimo final de semana ocorreu a Paraiso fashion weekende 2014 realizado pela segunda vez pelo shopping da cidade. Três dias de muita moda e gente bonita o evento começou na sexta-feira e se estendeu ate o domingo no sábado teve a participação do ex-BBB e modelo André Martinelli para a alegria da mulherada que marcou presença para conferir as tendências da moda que as lojas do shopping tem a oferecer de melhor.







No sábado teve um desfile de mais fofo a abertura do sábado ficou por conta  deles eu estou falando dos cãs e dos gatos essas fofuras  estavam bem íntimos da passarela  e cada qual deu um show.

Logo depois as lindas mulheres trajando roupas super  sensual e linda os homens também tiveram sua vez. O evento contaria com a participação especial do ator global Rodrigo Simas, mas ele não com pareceu, pois iria gravar para a novela da rede Globo, todavia mandou um vídeo se desculpando  e dizendo que estava louco para conhecer a região.


Veja agora os melhores momentos:

Para ver mais fotos entre na galeria de fotos!

This entry was posted in

CONFUSÃO NO ÇAIRE



Na 3ª noite de Festa do Çairé, que foi realizada no sábado (14), na vila balneária de Alter do Chão, distante 40 km de Santarém, oeste do Pará, aconteceu um tumulto na entrada do Sairódromo. Muitas pessoas que compraram ingresso para assistir a disputa dos Botos Tucuxi e Cor de Rosa foram impedidas de entrar para assistir as apresentações, porque a arquibancada estava lotada.
A Polícia Militar teve que dar apoio à equipe de segurança da festa para evitar confusão na entrada do Boto Tucuxi e do Cor de Rosa.
Na frente do Sairódromo, a artesã Inolcita de Mel reclamava por não conseguir assistir a apresentação dos botos. “Para não perder a apresentação dos botos, eu comprei o ingresso e preciso entrar. Se não tem condições de a gente entrar, então porque distribuíram todo esse monte de ingresso para vender. Eu quero entrar. Me sinto humilhada”, disse.
A auxiliar administrativo Rosenira Ferreira pagou R$ 40 e lamentou perder a disputa dos botos. “Isso está muito errado porque a gente paga R$ 40 no ingresso e não consegue entrar. A gente vem para assistir um show e não assiste. Estou perdendo a apresentação dos botos todinha. Acho uma falta de respeito com a população”.
A professora Cleide Pereira veio do Rio de Janeiro especialmente para conhecer a Festa do Sairé. Para ela, que gastou com passagens aéreas, a decepção foi grande. “Compramos o ingresso de tarde, tentamos entrar 20h30 e não conseguimos. Eu e meu marido somos do Rio de Janeiro. O valor de passagem [aérea] que paguei para vir para o Sairé é um valor absurdo e chega aqui não deixam a gente entrar. Eu não vim com intuito de assistir o show, eu vim para assistir os botos”, reclamou.
A turista Marinei Dieplinger, que veio da Noruega, até conseguiu entrar no Sairódromo, mas não pôde ficar na arquibancada. “Compramos ingressos antecipados e chega aqui não pode entrar. Não podem fazer isso. Falta infraestrutura. A cidade é muito bonita, as pessoas são receptivas, mas infelizmente faltou mais organização na festa”, disse Marinei.
Revoltadas com a situação, as pessoas que foram afetadas cobravam uma explicação para o problema. “Quero reivindicar, chamar quem é de direito, porque eu paguei R$140 de ingresso e fui barrada na arquibancada, embora tivesse lugar lá dentro e ninguém vem aqui atender a gente. Eu quero meu dinheiro de volta. Acho um absurdo isso, que bagunça é essa?”, questionou a professora Sônia Bernades.
O chefe de segurança do Sairé, Airton Aguiar, explicou que a arquibancada estava lotada e somente após a apresentação dos botos, os portões seriam liberados novamente. “Como tem uma certa lotação na parte da arquibancada, os bombeiros interditaram e mandaram impedir a entrada do pessoal até quando liberar para o show que vai ser aberto toda a área. A venda de ingresso parou e só vai voltar quando começar o show”, informou.
A coordenação da festa informou que providências devem ser tomadas para o Sairé de 2015. “A capacidade para cada uma das arquibancadas é de 1.200 pessoas. Os ingressos foram vendidos antecipadamente porque tem os shows e isso foi a diferença. Tem muita gente querendo entrar antes do show e tem a apresentação dos botos, por isso não tem como liberar para mais pessoas entrarem, só depois da apresentação dos botos. Vamos sentar com a coordenação geral da prefeitura para a gente ver quais as providências poderão ser tomadas [para os próximos anos]. Já temos uma ideia de aumentar a capacidade de camarotes e com certeza arquibancadas”, disse o coordenador, Cleuton Von.
fonte:g1

CARIMBÓ DO PARÁ PARA O MUNDO

 

 O carimbó acaba de se tornar Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil. O registro foi aprovado por unanimidade nesta quinta-feira (11/9), em Brasília, pelo Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural, formado por representantes da União e da sociedade civil. Criado no século XVII por negros africanos do nordeste do Pará e com influências indígena e ibérica, o carimbó é uma das mais tradicionais expressões culturais do estado do Pará e da região amazônica brasileira.

O registro do carimbó foi comemorado em ato público realizado nesta manhã em Belém do Pará, com a presença da ministra da Cultura, Marta Suplicy. "Quando se tem uma expressão cultural deste porte e não há a chancela do Estado, ela tende a desaparecer ao longo dos anos", afirmou a ministra. "Com o reconhecimento do Estado, o carimbó passa a ser perene, é patrimônio brasileiro", observou.

Marta Suplicy – que foi recebida no ato comemorativo por dançarinas e grupos de carimbó – adiantou que o Brasil pretende trabalhar para que o carimbó seja registrado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) como patrimônio imaterial mundial. "A chancela nacional é voltada à preservação, e a da Unesco, a uma maior visibilidade internacional, o que é muito importante para a atração de turistas", destacou a ministra.

A presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Jurema Machado, destacou que o Estado é agora um parceiro na manutenção e na vitalidade do carimbó. "A gente já sabe que ele é muito vivo, que a alegria e a riqueza da prática são contagiantes por si só, que o carimbó seria capaz de se manter por mais um século, como vem fazendo até então. Mas a responsabilidade do Estado é com certeza um fator a mais desse nosso compromisso", afirmou. "Esse registro beneficia, sobretudo, o Brasil, que pode se reconhecer, em seu amplo território, em valores culturais que representam a unidade do país", ressaltou.
O pedido de registro do carimbó como patrimônio imaterial do Brasil foi apresentado pela Irmandade de Carimbó de São Benedito, pela Associação Cultural Japiim, pela Associação Cultural Raízes da Terra e pela Associação Cultural Uirapurú. Entre os anos de 2008 e 2013, o Departamento de Patrimônio Imaterial do Iphan e a Superintendência do Iphan no Pará conduziram o processo de registro e realizaram pesquisas para a Identificação do carimbó em diversas localidades do estado.

O resultado final da pesquisa foi consolidado no Dossiê Carimbó, que tem o objetivo de ser uma referência documental do carimbó no Pará. Durante 40 dias, o documento esteve disponível para consulta popular no site do Iphan. As sugestões recebidas, após avaliação, foram integradas ao texto final.

Pau que produz som – Apesar de a manifestação cultural ter se originado entre os escravos, o nome carimbó tem origem indígena. Vem do tupi korimbó (pau que produz som), junção de curi (pau oco) e m'bó (furado, escavado). Os primeiros carimbós – ou curimbós – eram feitos de madeira oca e cobertos, em uma das extremidades, por couro de veado. Com o tempo, carimbó passou a referir-se não apenas aos tambores, mas também à dança associada ao ritmo produzido pela percussão.

Hoje, a expressão carimbó é utilizada majoritariamente como referência à expressão que envolve festa, música e coreografia características e tradicionalmente reproduzidas no nordeste paraense. Os temas das canções, em geral, são alusivos a elementos da fauna e da flora da região, ao dia a dia do trabalho e às práticas cotidianas.

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura
Com informações do Iphan

O REI PINDUCA


Hoje tem um grande show  gente vamos ate Alter Do Chão  para curti Pinduca
a entrada e franca convide seus amigos, familiares namorado(a) ou se preferir vá só mas não perca o rei do carimbo. 

ABERTURA OFICIAL DO ÇAIRÉ



 A vila balneária de Alter do Chão está em festa. Começou oficialmente na manhã desta quinta-feira (11) a maior manifestação folclórica da região Oeste Pará: a festa do Çair...
é. São três séculos de tradição, onde o religioso mistura-se com o profano. A festa iniciou com a caminhada em direção à praia da Gurita, onde a população de Alter do Chão e os turistas uniram-se para a retirada dos mastros, que foram erguidos na Praça do Çairé. A festa começa hoje e vai até segunda-feira (15), com uma intensa programação envolvendo a cultura regional, shows com bandas locais, regionais e nacionais e a tradicional disputa dos botos Tucuxi e Cor de Rosa.

O prefeito Alexandre Von ressaltou que o Çairé é o momento para fazer o resgate de uma tradição. “O ritual de abertura representa a manutenção da festa do Çairé e da cultura de um povo, onde o visitante se integra com o comunitário de Alter do Chão para fazer o resgate de uma tradição de uma festa de 300 anos. A comunidade está de parabéns por mais uma abertura espetacular”, disse o prefeito.

O Çairé 2014 é um marco para os botos Tucuxi e Cor de Rosa, que pela primeira vez, tem uma estrutura própria para trabalhar e apresentar um festival cada vez mais bonito. “Esse ano, pela primeira vez, os botos ganham os seus galpões. Uma estrutura própria, fruto de investimento do Governo do Estado do Pará, para que cada boto possa desenvolver a atividade, não apenas, no período do Çairé, mas ao longo do ano, com oficinas de capacitação, eventos e a preparação bem mais antecipada da festa, que eu não tenho dúvida, a partir desse ano será bem mais bonita”, observou Von.

A Prefeitura, também, ampliou a infraestrutura, ligando os galpões até a Praça do Çairé. “Na Praça, a infraestrutura está ainda mais bonita. Os camarotes foram ampliados. São 60 camarotes, arquibancadas seguras, um palco espetacular e shows de primeira qualidade, começando logo no primeiro dia com Pinduca e banda. Na sexta-feira tem Psirico e Solteirões do Forro. No sábado teremos as apresentações dos botos Cor de Rosa e Tucuxi e em seguida Chiclete com Banana. No domingo teremos mais festa o dia inteiro e na segunda-feira o encerramento da festa com a confraternização da comunidade. Eu não tenho dúvida que o Çairé 2014 será um grande sucesso”, finalizou o prefeito.
 
fonte e fonte: SEMC

QUE SITUAÇÃO


Oeste do Pará, Santarém não se fala em outra coisa, turistas, moradores já respiram Çairé. Setembro chegou e com ele já vem à expectativa de mais uma Çairé que vem com danças, músicas, rituais e tem também o confronto do boto Tucuxi e Cor de Rosa um movimento cultural que tem de tudo um pouco a cultura dos índios Boraris é riquíssima. 

Segundo alguns historiadores o festival tem mais de 300 anos de existência é muita coisa. Só que nada é perfeito de uns anos para cá o festival deve uma repercussão tão grande que ele aumentou os gastos e tudo aumentou. Com o passar dos anos Çairé foi perdendo seu sentido como?  A valorização da cultura própria morreu e as partes mais interessadas são as mais desinteressadas, o festival virou uma festa comum perdeu seu brilho suas raízes. Esse ano os organizadores da prefeitura e secretaria acertaram um pouco vão apresentar, por exemplo,  Pinduca  um grande cantor de carimbo de Belém isso eu reconheço marcaram ponto.

Turistas vêm de fora para conhecer novas  tradições e um bom momento para isso é a festa do Çairé mas quando eles chegam aqui encontram praticamente a mesma coisa de onde eles vieram eu me refiro a música pra que trazer cantores de fora se temos uma variedades de músicos e cada um melhor do que o outro aqui no Pará.

Os turistas que querem conhecer nossos costumes, tradições, religiões e etc. Eles participam das danças, ritual coisa que os próprios santarenos querem distancia talvez todo esse erro seja culpa nossa.

Esse ano eu posso até fala sobre do confronto dos botos em consideração a vocês leitores,  que ainda não puderam vim a Santarém mais eu vou dar mais atenção ao rituais, música, culinária e outros que são esquecidos por uns e outros.

8º FESTIVAL DE BANDAS E FANFARRAS



Ontem começou o 8º festival de bandas e fanfarras na Avenida Tapajós na noite passada 14 escolas se apresentaram para o público e para as autoridades da cidade ao todo 29 escolas passaram pela avenida o festival vai ate hoje (9) o festival irá começar as 19h00min com mais 15 apresentações.
 

A cada ano que passa as escolas fora de Santarém vem marcando presença no festival e é claro com o intuito de ganhar o primeiro lugar.  As escolas todo ano inovam e surpreendem público o que todos os anos lotam a via e a arquibancada.

DOMINGO DE FESTA NA CIDADE


Pela primeira vez em Santarém a banda Malta veio fazer o show da primeira turnê após ter ganhado a primeira edição  do programa da Globo, SuperStar. E veio se apresentar para o público da região oeste do Pará na noite de ontem (07) no Rancho Show Bar.




A banda que foi bem recebida pelos fãs, saiu satisfeita pelo carinho caloroso do público de Santarém. A banda cantou seus novos sucessos e fez o público cantar e dançar muito ao som de cada música.

Após o show em plena 02h00min da madrugada encontrei três amigas que estavam esperando a banda retorna para o hotel e logo depois mais fãs chegaram e é claro foram atendidos e muito bem recebidos pelos integrantes Adriano Daga (Bateria), Bruno Boncini (Vocal), Diego Lopes (Baixo) e Thor Moraes (Guitarra) .
 

Na mesma noite só que em uma esquina depois do Rancho no Panterão show clube ocorria o show do Alexandre Pires e só pra contrariar a turnê que marca a volta de Alexandre Pires ao grupo e comemoração de 25 anos de SPC.

O DIA DA INDEPENDENCIA



 
 
A aproximadamente quase uma semana estava ocorrendo em todo o Brasil desfiles da semana da pátria, aqui em Santarém não foi diferente desde o dia primeiro  de setembro escolas, colégios e instituições vinham desfilando pelas ruas da cidade.
Ontem sete de setembro na orla da cidade ocorreu à marcha das forças armadas. Um grande público foi ate a Avenida Tapajós para prestigiar esse evento que já é tradição no Brasil.
Um show a parte foi dos carros que serve a população do oeste do Pará. O corpo de bombeiro para espantar o calor deu um mini banho na plateia, e é claro as pessoas adorarão.
 

UM CURSO QUE VAI AJUDAR MUITAS FAMILIAS


Descendentes de quilombos, da Comunidade Patauá do Umirizal, em Óbidos, , vão participar de um curso sobre derivados do açaí, promovido pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater) nos dias 15 e 16 de setembro.O curso vai oferecer mecanismos voltados à geração de renda para 40 famílias da comunidade.
 
O açaí é um fruto abundante na área da comunidade quilombola Patauá do Umirizal. O objetivo do curso é agregar valor ao açaí nativo extraído na região, além de formar mão de obra especializada para a participação no Festival do Açaí, que acontece na localidade nos dias 26, 27 e 28 de setembro, no barracão comunitário, atraindo mais de 200 pessoas.
 
Segundo a chefe do escritório local da Emater, a assistente social Clélia Guerreiro, que ministrará o treinamento, os participantes aprenderão a fabricar doces, sobremesas, sorvetes e outros derivados do açaí.
A Emater, em Óbidos, realizou um levantamento técnico para potencializar a atividade agrícola das famílias remanescentes de quilombos. Assim, segundo o técnico em Agropecuária da Emater, Ederlan Correa, que realiza o atendimento, um cronograma de atividades já foi iniciado na comunidade Patauá.
Correa ainda informou que a fase de levantamento de potencialidades ainda não está concluída, mas que o beneficiamento do açaí e o melhoramento da produção de farinha de mandioca já estão determinados para as famílias quilombolas.

A BUSCA DOS MATROS PARA O SAIRÉ

 
O ritual da buscas dos mastros, realizado neste sábado (6), deu início a Festa do Sairé, realizada na vila de Alter do Chão, a 40 quilômetros de Santarém, oeste do Pará. Os personagens que fazem parte das festividades: a Saraipora, Juiz e Juíza, Mordomos e Moças da Fita conduziram o símbolo do Sairé, seguidos por um cortejo em algumas ruas da vila, e depois, por uma procissão fluvial até o Lago Verde, do outro lado da vila, de onde troncos de árvores foram retirados da mata.
 
Durante a procissão, os participantes realizaram cantos religiosos e rezas tendo sempre à frente a Santíssima Trindade. Após a travessia até o lago, comunitários plantaram 20 mudas nativas da floresta, uma vez que retiram espécies. Em seguida, os grupos de mordomos e mordomas se formaram para carregar o mastro até as catraias, momento de grande competição entre homens e mulheres.
 
De acordo com a organização do evento, este ano os participante não entraram na mata em busca dos mastros. O motivo é que, com a plantação das mudas anualmente, a floresta ficou cada vez mais fechada, dificultando a entrada no local. Quando os participantes chegaram no local, os mastros já estavam preparados para serem transportados até a vila.
 
Ainda nas embarcações de grande e pequeno porte, os participantes tiveram o reforço do tarubá - líquido extraído da massa da mandioca após a retirada do tucupi. Revigorados com a bebida, mordomos e mordomas retiraram os mastros das catraias e colocaram embaixo da árvore do cajueiro, já na vila.
 
Os troncos permanecem na praia até a abertura oficial do Sairé, na próxima quinta-feira (11). Para a festa, eles serão enfeitados com frutas e esrguidos um ao lado do outro e só serão derrubados no último dia de festa, que ocorre na segunda-feira (15), para marcar o encerramento das festividades.

OFICINA DE INICIAÇÃO TEATRAl




Essa é pra você não perde
10 DE SETEMBRO Às 21h
CASA DA CULTURA (Av. Borges Leal)
INSCREVA –SE!!!
Esta oficina destina-se a quem nunca fez teatro ou quem já tem alguma experiencia em qualquer linguagem artistica, pra quem é tímido ou pra quem é "Sem vergonha alguma"!!!
A iniciação teatral é o primeiro passo para quem quer ir além! Abordaremos de forma objetiva a técnica dos movimentos, jogos teatrais e a improvisação! Os primeiros passos para o caminho da criação artística.
INSCREVA-SE!!!

Requisitos: Ser maior de 16 anos, ser tímido ou sem vergonha !
INVESTIMENTO: R$ 10 / Declaração CH – 10 horas

*SOBRE INFORMAÇÕES e INSCRIÇÕES: 9175-0712
This entry was posted in

ESCOTEIROS DE SANTARÉM PROMOVEM CAMPANHA "DOE SEU CELULAR"


Jovens escoteiros do grupo  Muiraquitã, em Santarém,  está com a campanha “Doe Seu Celular”. O objetivo é coletar celulares funcionando ou não, com ou sem bateria, quebrados ou antigos para serem reciclados de maneira correta e segura, com as devidas certificações ambientais.
Essa iniciativa legal  também busca conscientizar a população sobre a importância de dar um destino correto para estes aparelhos, que podem trazer riscos à saúde e ao meio ambiente. “A população tem colaborado e tem se conscientizado que esses celulares podem estar prejudicando tanto o solo quanto a água e o ar. Vimos dentro de uma região que esses postos de coleta não existem e essa campanha veio justamente para contribuir para que a população tenha uma opção onde colocar e fazer a destinação correta desses celulares”, explicou o escotista do Grupo Muiraquitã, Azomar Jati.

Esse projeto conta com postos de coletas espalhados por vários locais da cidade. “A gente tem vários postos de coletas no centro da cidade, que são algumas empresas que adotaram a campanha e estão fazendo essa coleta junto com o grupo escoteiro. Essas empresas estão todas identificadas com cartaz, identificando que ali é um posto de coleta. Caso as pessoas não encontrem postos de coletas, pode entrar em contato conosco e a gente vai até o local para recolher o aparelho e com o tempo vamos estar fazendo visita nos bairros e colocando postos de coleta nas escolas”, informou Jati.
A estimativa do grupo de escoteiros é que até o fim da campanha sejam arrecadados no mínimo 3 mil aparelhos. Além de ajudar o meio ambiente, parte dos recursos arrecadados será revestida ao grupo, com a aquisição de instrumentos como barracas, fogareiros, kits de rapel entre outros acessórios que são utilizados pelos escoteiros. A campanha de arrecadação prossegue até dezembro deste ano em todo o país.